RankBrain

O RankBrain representa uma das mudanças mais intrigantes no mundo do SEO.

Lançado inicialmente em outubro de 2015, continua sendo um mistério para a maioria dos especialistas. No entanto, devido a inúmeros estudos realizados desde então, podemos entender algumas características básicas deste sistema de aprendizagem de máquinas.

Mesmo que o nome possa implicar o contrário, sua prioridade é fornecer resultados mais relevantes para pesquisas completamente novas. Após os testes iniciais, o pessoal do Google percebeu que este sistema é realmente ótimo ao lidar com buscas ambíguas e mal definidas, bem como com linguagem natural.

História do RankBrain

Tenha em mente que esta não é a primeira tentativa do Google de implementar o aprendizado de máquinas em seus sistemas. Anteriormente, já podíamos ver uma tecnologia similar no Google AdWords.

Sempre que o RankBrain precisa avaliar uma página, ele se concentra na relevância da própria página, de forma semelhante ao índice de qualidade do Google AdWords. Com base nesta pontuação, posiciona páginas diferentes em diferentes posições.

Tenha em mente que o índice de qualidade do Google AdWords não usa sinais externos, como links. Neste ponto, não temos certeza se o RankBrain confia em links ao avaliar o conteúdo. Além disso, esse sistema possui algumas semelhanças com o Word2Vec.

O Word2Vec foi baseado em uma tecnologia chamada skip-gram e um conjunto contínuo de palavras. Esses dois modelos permitiram que um sistema estabelecesse uma relação entre palavras principais e todas as palavras vizinhas às principais. Além disso, o Word2Vec conseguiu incorporar palavras como vetores que lhes permitiram ser melhor compreendidas.

O RankBrain funciona da mesma forma. É muito bom estabelecer relações semânticas e ver a intenção do usuário. Com base nisso, podemos admitir que o RankBrain é pelo menos parcialmente baseado na tecnologia do Word2Vec.

Por que o RankBrain foi introduzido em primeiro lugar?

Há cerca de 3 bilhões de buscas diárias. Desses 3 bilhões, 15% são buscas completamente únicas, nunca antes vistas. Isso equivale a 450 milhões de buscas.

O RankBrain foi desenvolvido para processar essas buscas exclusivas e dar uma resposta adequada para elas. O sistema faz isso fazendo um palpite. Com base em todas as informações acumuladas anteriormente, ele é capaz de estabelecer conexões semânticas e estabelecer a intenção de um usuário.

Mas, em alguns casos, mesmo com toda a sua tecnologia avançada, o RankBrain pode cometer um erro e fornecer ao usuário final resultados que ele não está procurando. Se for esse o caso, ele irá fornecer um novo conjunto de resultados, na esperança de satisfazer o indivíduo. É por isso que se chama aprendizagem de máquina. O RankBrain é capaz de aprimorar constantemente seus resultados e melhorar suas sugestões.

Muitas pessoas pensam que o RankBrain é um sistema de inteligência artificial. Não é isso. O RankBrain um sistema de aprendizagem de máquina capaz de aprimorar-se sem qualquer interferência humana.

O RankBrain poderá, um dia, chegar ao estado de “inteligência artificial”. Mas ainda há muitas limitações para que isso aconteça. Os gerentes de produtos do Google parecem ter percebido que o RankBrain é excelente ao lidar com palavras-chave ambíguas e de cauda longa.

Ao contrário do que acontecia antes (quando o Google se concentrava em uma palavra dentro da frase), o RankBrain pode entender o significado das palavras e dar sugestões apropriadas.

Relacionamento com o Hummingbird

Há muitos equívocos quando se trata de Hummingbird e RankBrain. O RankBrain não é um algoritmo nem substitui Hummingbird.

Na verdade, são entidades separadas que devem funcionar em conjunto. Os especialistas se referem ao RankBrain como modificação do Hummingbird. Muito provavelmente, ao processar uma busca, o RankBrain conclui sua parte do trabalho e, em seguida, o Hummingbird refinará o resultado.

Da mesma forma que o Word2Vec e o Google AdWords, é possível que o Google tenha tirado o melhor proveito do Hummingbird e o implementasse dentro do RankBrain. Neste ponto, só podemos especular.

O fato é que o Google protege muito sua tecnologia e tudo o que podemos fazer neste momento é notar as semelhanças e diferenças entre os vários sistemas.

Comente