7 coisas que você deve investigar durante uma auditoria SEO

Por que realizar uma auditoria SEO?

Uma auditoria SEO é realizada para verificar a “saúde” de um site em termos de desempenho e tráfego.

A auditoria analisa a arquitetura e vários elementos on-page e off-page de um site ou blog para otimizar a visibilidade e a conversão.

Certificar-se de que você está fazendo SEO da maneira certa é tão importante quanto otimizar seu site para obter um melhor desempenho.

Idealmente, você sempre deve realizar uma auditoria no início de um novo projeto e no início de cada semestre. No entanto, caso o site comece a fornecer alguns sinais de aviso de fraco desempenho, então você deverá realizar uma auditoria imediatamente.

Alguns dos sinais de aviso incluem:

  • tráfego mais baixo do que o habitual;
  • maiores taxas de rejeição.

Uma auditoria SEO mostrará quais fatores estão influenciando essas métricas para que você possa tomar as ações apropriadas.

Além disso, uma auditoria é necessária quando houver uma mudança considerável nos algoritmos dos principais mecanismos de busca, para que você possa maximizar a compatibilidade do seu site com as mudanças.

Aqui estão algumas coisas que você deve tomar cuidado ao realizar uma auditoria SEO:

1. Concorrência

Analisando em que posição seu site se encontra em relação a sua concorrência é a parte mais importante de uma auditoria de SEO.

Você pode realizar uma análise competitiva identificando primeiro seus concorrentes e, em seguida, descobrindo quais palavras-chave os concorrentes estão usando, qual é o tráfego mensal. Você pode facilmente obter essa informação através de um software de SEO como o SEMRush.

2. Crawling

A próxima coisa que você precisa fazer é rastrear o site para identificar os problemas.

Isso, basicamente, significa ver como o Google está lendo ou “vendo” seu site. Existem várias ferramentas que podem ajudá-lo a rastrear.

A DeepCrawl é uma dessas ferramentas que podem fazer isso. Esta ferramenta não identifica apenas correções técnicas, também fornece recomendações. O preço dessa ferramenta dependerá do número de páginas que você planeja rastrear.

Você também deve verificar os arquivos robots.txt para ver se os rastreadores estão bloqueando todas as fontes e se estão atendendo a todos os protocolos.

Além disso, procure qualquer conteúdo duplicado que possa existir. Conteúdo duplicado geralmente inclui (mas não se limita a) meta títulos e descrição, subdomínios e páginas com paginação implementadas incorretamente.

3. Acessibilidade

Depois de terminar a fase de rastreamento, você precisa verificar se o seu site está acessível para o seu público-alvo ou não.

Alguns dos problemas comuns de acessibilidade que seu site pode enfrentar incluem erros 404, tempo de resposta longo do servidor e carregamento lento da página.

Você pode verificar facilmente a acessibilidade do seu site por meio do PageSpeed Insights do Google.

4. Análise de links

Aos olhos do Google, a qualidade do seu site depende do número de sites de qualidade que estabelecem links para ele. Portanto, sua classificação depende dos links.

Existem ferramentas no Google Search Console que determinam links internos e externos e verificam quais dados são importantes. Mas você também pode aproveitar algumas ferramentas, como o OpenSiteExplorer e o Ahrefs, para realizar uma análise de links.

Algumas das coisas que você precisa ter em mente ao conduzir análises de links é:

  • o número de domínios-raiz exclusivos com os quais seu site está lincado;
  • se os backlinks são relevantes para o tópico de seu site e;
  • a confiabilidade desses domínios-raiz.

5. Indexação

Você precisa verificar quantas páginas do seu site estão sendo indexadas pelos mecanismos de busca.

Uma maneira fácil de verificar isso é através do operador “site:” que a maioria dos mecanismos de busca. A maioria dos buscadores oferecem este operador.

Por exemplo, no Google, você pode escrever “site:nomedoseusite.com.br” e obter uma estimativa aproximada do número de páginas indexadas.

Se o número de páginas indexadas for significativamente menor do que o número de páginas existentes em seu site (ou blog), então isso significa que seu site não está sendo indexado corretamente.

Por outro lado, no caso da contagem de páginas indexadas pelo Google ser muito maior do que o número de páginas existentes no seu site, então isso significa que seu site tem conteúdo duplicado.

6. Arquitetura do site

A estrutura geral do seu site é basicamente a arquitetura do seu site, incluindo amplitude horizontal e profundidade vertical.

Para verificar se a arquitetura do site é robusta, veja se as páginas mais importantes têm prioridade sobre as demais e quantas vezes você precisa clicar para acessar as páginas importantes a partir da página inicial. Você deve tentar tornar seu site o mais plano possível.

Você também precisa verificar a arquitetura de informações do seu site, que é basicamente um mapa de como as informações são apresentadas no site.

A análise da arquitetura da informação mostra o objetivo de cada página. A coisa mais importante que você precisa ter em mente são os usuários e quais ações você quer que eles realizem. Isso ajudará a aumentar suas conversões.

7. Classificação on-page

O Google utiliza rankings de páginas para determinar a importância ou relevância de uma página. O Google basicamente identifica o número de links em uma página para determinar seu valor.

A classificação ou otimização do tipo “on-page” é feita porque os usuários e os mecanismos de pesquisa usam o conteúdo de forma diferente e a otimização basicamente tenta satisfazer a ambos.

Você pode verificar o ranking das páginas de seu site na barra de ferramentas do seu navegador. Se você não conseguir encontrá-lo, precisará instalar a barra de ferramentas do Google.

Resumindo, não é necessário que você realize uma auditoria apenas quando você identificar sintomas de problemas. Você deve realizar uma auditoria SEO de vez em quando para garantir que seu site permaneça sempre relevante e no topo do ranking.

Comente